Estado de Minas: Mineirão tem obra em dia e recebe tratamento especial na fachada

Do Estado de Minas:

Reabertura em dezembro de 2012

Reprodução do Estado de Minas

Composição de um dos cartões-postais de Belo Horizonte, formando bela paisagem ao lado do Mineirinho e do complexo arquitetônico da Lagoa da Pampulha, a fachada do Mineirão recebeu tratamento especial nos últimos dias. Tombada pelo Instituto Estadual de Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha), a parte externa da obra de concreto inaugurada em setembro de 1965 passou por limpeza e aplicação de verniz fosco, clareando e dando nova aparência ao estádio.

A obra de modernização, apesar de ter passado por duas greves nos últimos quatro meses, somando nove dias de paralisação, está cumprindo o cronograma. A demolição da área interna (arquibancadas, escritórios, lojas e bares) está quase concluída e 90% da área externa já foi destruída para construção da esplanada e estacionamento.

Neste estágio, são construídas as fundações nos setores interno e externo e a contenção do estacionamento para 2,6 mil carros. Nas últimas semanas, o consórcio Minas Arena, responsável pelas obras, começou a testar seis fabricantes de cadeiras flexíveis que serão usadas em lugar dos antigos bancos fixos, que foram removidos e reinstalados em diversos estádios do interior – entre eles o Alçapão do Bonfim (Nova Lima), Ipatingão (Ipatinga), Parque do Sabiá (Uberlândia) e Arena do Jacaré (Sete Lagoas). As cadeiras são multicoloridas e darão aspecto diferente à arquibancada, que era formada apenas por bancos vermelhos e brancos.

Nos próximos meses, o campo será rebaixado em 3,5 metros. O estádio ainda vai ganhar cobertura em estrutura metálica e material translúcido, que protegerá as arquibancadas do nível inferior (abolindo-se a geral, onde torcedores ficavam em pé. Há 1,5 mil empregados, incluindo detentos e mais de cem mulheres, trabalhando na obra. O estádio, que já recebeu 132.834 torcedores na vitória do Cruzeiro sobre o Villa Nova, por 1 a 0, na decisão do Mineiro de 1997, terá capacidade para 69.950 pessoas.

CRONOGRAMA A revitalização do Mineirão foi programada em três fases. Na primeira, de 25 de janeiro a junho do ano passado, ainda recebendo partidas, foram feitos reparos estruturais das vigas de sustentação. Na segunda etapa, de 26 de junho a 20 de dezembro, foram demolidas parte da arquibancada inferior e da geral, além de rebaixamento do gramado em 3,4 metros.

Já a terceira e última etapa teve início em 22 de dezembro e vai ser finalizada até 20 de dezembro do ano que vem. Com custo total de R$ 654 milhões, o Governo de Minas Gerais optou pelo modelo da gestão compartilhada. A empresa Minas Arena conduz a obra e terá direito a operar o estádio por 25 anos.

MEMÓRIA
Três jogos em 1950

O Estádio Independência foi construído para a Copa do Mundo de 1950, inaugurado no dia 25 de junho daquele ano com a partida em que a Iugoslávia venceu a Suíça por 3 a 0. Foi palco de dois outros jogos: Estados Unidos 1 a 0 sobre a Inglaterra, em 29 de junho, resultado conhecido como uma das maiores zebras da competição, porque os ingleses eram os criadores e favoritos ao título, enquanto os norte-americanos apenas aprendizes. O terceiro confronto ocorreu Para completar, em 2 de julho o Uruguai – que venceria o Brasil na final, no Macaranã, por 2 a 1 – goleou a Bolívia por 8 a 0. (Antônio Melane)

21/10/2011

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s